O online é um dos canais preferidos de compra e venda atualmente. Os consumidores desenvolveram o costume de se informar pela internet antes de adquirir um produto ou serviço, especialmente consultando a primeira página do Google para tomar decisões. Nesse sentido, é fundamental as marcas conquistarem esse espaço para se destacarem da concorrência e sobreviverem no mercado.

 

Porém, com tantas empresas tentando um lugar ao sol, esse trabalho não é o mais fácil. É preciso entender como funciona as regras do jogo antes de acabar apostando em estratégias que só irão consumir seu orçamento. Mas, calma! Neste artigo vamos te explicar como fazer seu conteúdo ter relevância no ranking do Google e ficar na primeira página.

 

 

Como funciona o ranking do Google?

 

O serviço do Google basicamente é oferecer ao público a resposta correta para aquilo que ele procura: desde saber a previsão do tempo a informações de determinados produtos ou serviços. Todo esse conteúdo não é produzido pela megacorporação, e sim por outras empresas, pessoas e demais interessados. O buscador “só” tem o trabalho de classificar e organizar quais materiais são mais prováveis de atender o desejo da audiência, exibindo-os prontamente nos primeiros espaços da busca. 

 

Existem várias estratégias para fazer com que o seu conteúdo apareça nos primeiros lugares do Google quando o seu público-alvo pesquisar determinado assunto. Porém, uma das que mais traz resultados e com o menor custo é o SEO.

 

O que é SEO?

 

O Search Engine Optimization (SEO) é uma série de estratégias que consideram os critérios adotados pelo Google para decidir se um conteúdo deve estar nos primeiros lugares da pesquisa ou nas demais páginas - praticamente o jogando ao limbo de materiais sem audiência.

 

Esse método não envolve gastos com publicidade e anúncios, por isso é mais barato que investir em Ads. O SEO se baseia na produção e otimização de conteúdo para agradar o buscador e público-alvo, adotando um conjunto de várias boas práticas que, somadas, mostram ao Google que seu material é exatamente aquilo que as pessoas estão procurando.

 

Mas, quais seriam essas boas práticas? Vamos conhecer algumas!

 

 

Dicas de SEO para ficar na primeira página do Google

 

Primeiro é preciso entender o elemento fundamental considerado pelo algoritmo do Google: as palavras-chave. O buscador visualiza os termos que as pessoas pesquisam e analisa em seu banco de dados os conteúdos que falam sobre o assunto. O uso correto de determinadas expressões - além de uma boa experiência do usuário na sua página - é o que faz a plataforma saber se esse material é bom, e merece destaque nas pesquisas, ou se não é relevante para o público e deve ser deixado à margem.

 

rankeamento-do-google-exemplo

 

Saber quais são as palavras-chave relacionadas à sua empresa é a primeira etapa para fazer uma boa estratégia de SEO. Analise quais são os serviços, produtos e temas ligados à natureza da sua marca e faça uma lista com todos os termos. Essa pesquisa ficará ainda mais completa ao utilizar ferramentas como Google Trends, Keyword Planner e Ubersuggest que não só irão dar sugestões de expressões, como também mostrar informações como o volume de buscas daquela palavra e a dificuldade de se posicionar organicamente (com conteúdo normal) ou de forma paga.

 

Ok, mas onde utilizar essas palavras-chave no conteúdo para ganhar a confiança do Google?

 

  • Título do conteúdo: o termo tem que obrigatoriamente estar nesse espaço. Outra dica é que esse texto não seja longo, contendo entre 50 a 68 caracteres;
  • Meta Description: é um resumo sobre o conteúdo da sua página. Esse texto deve descrever o que o público encontrará no seu material e, principalmente, servir de isca para atrair mais visitantes ao seu domínio. O tamanho ideal é de 153 caracteres.
  • Texto: não adianta colocar os termos no título e resumo, mas esquecer completamente deles no seu conteúdo. Use-o de forma orgânica, aproveitando também sinônimos e palavras relacionadas.
  • URL: a expressão também deve estar presente nesse espaço. A melhor prática é que esse texto seja compreensível para o público e para o buscador.

 

Porém, as palavras-chave não são o único critério do Google para ranquear sua página. Outros critérios que a plataforma considera são:

 

Link Building: assim como as pessoas confiam em recomendações, o buscador avalia quais sites direcionam links à sua página. Isso serve tanto de terceiros como seu próprio domínio direcionando a determinado material

 

Mapa do site: é uma forma de facilitar o trabalho dos robôs do Google que vasculham os conteúdos criados na internet. O responsável da empresa deve enviar ao buscador um arquivo contendo diversas informações sobre as páginas do seu domínio, auxiliando na atualização e, possivelmente, melhora do posicionamento.

 

Conteúdo: não adianta usar todas as palavras-chave corretamente e ter um site bem estruturado se o material usado não é de qualidade. O Google consegue identificar que o público não fica muito tempo na página e volta a pesquisar o mesmo termo, considerando assim que seu conteúdo não resolve as dúvidas do público e, consequentemente, não merece destaque.

 

 

Ficou alguma dúvida sobre o ranking do Google? Deixe seu comentário abaixo e iremos te responder!